Pousada Verbicaro, em Santa Maria Madalena, é referência em preservação ambiental e acessibilidade.

postado em: Sem categoria | 0

PaginaVerbicaroMesmo se não estivesse encravada em uma RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural) de Mata Atlântica no entorno do Parque Estadual do Desengano, e não oferecesse serviços e equipamentos em sintonia com o meio ambiente, uma visita à Pousada Verbicaro, em Santa Maria Madalena, já valeria pelo prazer do contato com seu proprietário, o engenheiro mecânico Mario Verbicário Vahia, mestre contador de “causos” da família que se confundem com a própria história da região centro norte fluminense.

Foi neste ambiente preservado e descontraído que a comitiva de vencedores e organizadores do II Prêmio de Responsabilidade Socioambiental Bacia de Campos encerrou o ciclo de visitas a unidades de conservação, iniciado com a viagem a Foz do Iguaçu (PR) para conhecer o Programa Cultivando Água Boa da Itaipu Binacional.

A presença da comitiva foi perpetuada com o plantio de mudas de cedro rosa, urucum e araucária, levadas por Alex Sandro Santos, da Ela Ecomodas de Nova Friburgo, sendo na ocasião prestada uma homenagem a Dona Alba Corral, que havia falecido na véspera no Rio de Janeiro. Em 2011, Dona Alba foi contemplada com o Prêmio de RSA na Categoria Especial pelos relevantes serviços prestados à sociedade macaense e ao meio ambiente.

A Pousada Verbicaro foi inaugurada em 22 de junho de 2007 pela madalenense Dercy Gonçalves, exatamente na véspera de a consagrada atriz festejar seus 100 anos. Amiga dos proprietários Mário e Cristiana Vahia, Dercy levou com ela o cantor Aguinaldo Timóteo e a atriz e acordeonista Adelaide Chiozzo, que atuou em mais de 20 filmes da época da chanchada, alguns com Oscarito e Grande Otelo e com a própria Dercy.

O madalenense Mário, 60 anos, decidiu retornar à cidade natal no início da década de 1990 para trabalhar com agricultura, depois de uma bem sucedida carreira empresarial no Rio de Janeiro. Mas a experiência nos negócios enxergou a necessidade de Santa Maria Madalena ter uma pousada que oferecesse um relacionamento melhor com as pessoas e com a natureza, com o menor impacto ambiental possível.

Segundo Mário, a cidade sempre teve um grande potencial turístico e a área escolhida para a pousada, embora não muito distante do perímetro urbano, está localizada no meio rural, completamente isolada do burburinho da cidade, onde se ouve os cantos de dezenas de espécies de pássaros, ideal para recuperar as energias gastas no dia-a-dia nas cidades maiores.

Riqueza natural

 

A Verbicaro é uma pousada com muitos diferenciais que facilitam a vida dos hóspedes sem agredir a natureza: não tem degraus, proporcionando acessibilidade a todos, inclusive com apartamentos para pessoas com necessidades especiais. Na área externa foram utilizados paralelepípedos para facilitar o escoamento das águas pluviais para os lençóis freáticos, além de possuir sistema de reaproveitamento dessas águas para atender à limpeza dos vasos sanitários e irrigação; as vidraças são de cor verde para equilibrar o ambiente interno e aproveitar ao máximo a luz natural.

A pousada tem piscina aquecida com sistema solar e sauna acoplada à piscina, sala de massagem e churrasqueira. Possui estação de tratamento de água com decantador e filtro com carvão ativado, estação de tratamento de esgoto e todo o lixo é reciclado. A iluminação é econômica e acolhedora, sendo utilizadas garrafas Pet para ampliar a luminosidade interna, e as torneiras têm sistema de fechamento automático visando economia de água.

Com o apoio do Programa Rio Rural e SOS Mata Atlântica, foi criada a RPPN Verbicaro, uma unidade de conservação de caráter perpétuo, protegida por lei e intocável. De um total de 48 hectares, a propriedade tem 50% de floresta. “Estamos agora fazendo o plano de manejo, inclusive para que as pessoas com necessidades especiais possam usufruir”, explica Mário Vahia.

A floresta é composta por Mata Atlântica primária e secundária, sendo esta com aproximadamente 80 anos recuperada da cafeicultura. Na RPPN já foram observados 160 variedades de pássaros, cachorro-do-mato, mão-pelada, tatu, quati, cuíca, gambá, além de bugios e rastros de porco-do-mato. Há muitas espécies de palmito juçara, em extinção, além de árvores como cedro, angico vermelho e ipê. A RPPN contribui para que o município de Santa Maria Madalena receba cerca de R$ 70 mil através do ICMS Verde do governo estadual.

 

Satisfação do cliente

 

PaginaVerbicaro2Nos seis anos de funcionamento, a Pousada Verbicaro tem desenvolvido diversas atividades para os hóspedes: capacitação e treinamento, encontro de observadores de aves, escaladores, caminhadas em trilhas do Anda Brasil, arvorismo, além de ações especiais como Réveillon, carnaval, festas municipais e saraus com o luxuoso auxílio de um piano de cauda francês Erard fabricado em 1870, com apenas outro exemplar no Brasil.

E ao longo desse período, Mario e Cristiana afirmam que o mais importante nessa atividade é a satisfação e a tranqüilidade do cliente, que convive com um ambiente informal a ponto de se sentir como se estivesse em sua própria casa. O projeto arquitetônico de estilo colonial é de Maria Clara Pinto Ferreira e a decoração de Cristiana, utilizando fotos antigas das famílias Vahia e Verbicaro e de Santa Maria Madalena, contribuem para o clima de aconchego. Um detalhe: cada apartamento tem o nome de um parente, o que reforça o ambiente familiar.

Todas essas qualidades fizeram da Pousada Verbicaro o xodó da equipe da Rede Globo que filmou várias cenas da elogiada minissérie “Dercy de Verdade”, sendo gravadas duas cenas no local. Lá também os artistas se hospedaram, entre eles o diretor Jorge Fernando (“é um grande gozador, mas durante as filmagens dá bronca em todo mundo”, recorda Mário), Cássio Gabus Mendes, Heloísa Perissé, Daniel Boaventura, Fafy Siqueira, Tuca Andrade, Mayana Neiva e Armando Babaioff.

A Pousada Verbicaro foi um dos vencedores do I Prêmio de Responsabilidade Socioambiental Bacia de Campos, em 2011, tem certificado Carbono Zero expedido pela Prima Mudanças Climáticas e desenvolveu técnicas para combater a erosão e promover intervenções no ambiente ecologicamente corretas.

 

Patrimônio de Madalena ameaçado

 

A RPPN Verbicaro faz divisa com a APA de São Domingos e está no entorno do Parque Estadual do Desengano. A cidade de Santa Maria Madalena, uma das mais aprazíveis e acolhedoras do interior fluminense, tem cerca de 11 mil habitantes e a maior fonte de renda ainda é a agricultura, seguida pela pecuária, reflorestamento econômico, turismo e agroindústria da cachaça, doces, derivados do leite, mel e artesanato de pedras, couro e madeira.

Em 2010 a sociedade civil organizada , em parceria com empresas e poder público, criou a FLIM – Festa Literária de Santa Maria Madalena, realizada anualmente no mês de agosto, com o objetivo de contribuir para a cultura da cidade e da região e para a dinamização da economia do município, através do estímulo ao turismo cultural.

A FLIM consiste num conjunto de atividades culturais – shows musicais, teatro, artes circenses, lançamento de livros, palestras, exposições e oficinas de artes e literatura – que se prolonga por todo um fim de semana, começando na sexta-feira à noite e acabando ao entardecer do domingo.

Se a iniciativa deu novo impulso a Santa Maria Madalena, uma ameaça ronda um dos principais atrativos da cidade: sua riqueza arquitetônica. Uma intervenção desastrada dos órgãos públicos estadual e federal responsáveis pela preservação do patrimônio histórico e urbanístico, que não souberam explicar a importância socioeconômica e cultural de manter a cidade com seu antigo e belo casario, provocou uma campanha acirrada contra o tombamento desses bens privados.

As conseqüências têm sido devastadoras: vários casarões foram demolidos e substituídos por prédios sem qualquer preocupação arquitetônica, verdadeiras “caixas de sapato” que, se forem multiplicados, acabarão por afugentar os turistas que incrementam a economia local.

Se algo não for feito, e com urgência – e há um grupo de madalenenses e amigos da cidade bastante engajado na luta pelo tombamento do centro histórico -, provavelmente nenhuma emissora de tevê voltará a filmar o que a Globo filmou na minissérie que estreou nas telinhas em 10 de janeiro de 2012. Madalena terá perdido o seu encanto.

 

 

Martinho Santafé

Fotos: Alex Sandro Santos